Notícias Projetos

Convênio para implantar viveiro de nativas na Penitenciária Agrícola no ES

Instituto Terra assina convênio para implantar viveiro de nativas na Penitenciária Agrícola do Espírito Santo.

Internos da Penitenciária Agrícola do Espírito Santo, em cumprimento de pena no regime semi-aberto, vão trabalhar na produção de mudas nativas de Mata Atlântica, que serão usadas em ações de reflorestamento. O ponto de partida para essa ação será a implantação de um viveiro na unidade prisional, com capacidade para produzir 400 mil mudas de espécies nativas por ano. A elaboração do projeto do viveiro será feita pelo Instituto Terra, conforme convênio celebrado com o Governo do Espírito Santo, através da Secretaria de Estado da Justiça.

Participam também da iniciativa a Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), a Fibria e o Incaper. Em seu objetivo final, o projeto de Mudas Nativas que está sendo iniciado pelo Governo capixaba pretende promover a reinserção social dos internos do sistema prisional, por intermédio de atividades laborativas.

Além do projeto do viveiro, caberá ao Instituto Terra disponibilizar a tecnologia de produção das mudas. A proposta é de produzir 150 mil mudas ainda em 2011 e a partir de 2012 alcançar a produção anual de 400 mil mudas. O Incaper será responsável pela capacitação dos internos e coordenará a equipe que vai gerenciar o projeto, visando sua sustentabilidade, bem como será responsável pela distribuição das mudas, que durante a vigência do convênio – até janeiro de 2016 – serão adquiridas pela Fibria.

A iniciativa visa, em essência, estimular o aproveitamento do potencial de trabalho existente na unidade prisional, de forma a eliminar o grave problema da ociosidade, incentivando a capacitação dos reeducandos, de forma a torná-los produtivos durante o período de cumprimento da pena e também quando de sua conquista da liberdade. Além disso, o trabalho no viveiro poderá ajudar na remissão das penas e dará direito a remuneração mensal, de acordo com os dias trabalhados, proporcionando aos detentos uma forma de ajuda no sustento de suas famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Traduzir »