DIGITE SEU EMAIL E RECEBA NOTÍCIAS
     
 
Aimorés, MG - Brasil | 12/12/2018 - Bom dia!  
   

Busca:

MEIO AMBIENTE
Conheça o trabalho de recuperação ambiental da Fazenda Bulcão, sede do Instituto Terra.
Autor: Imprensa - 18/11/2004

 

Recuperação Ambiental

O Instituto Terra assumiu como compromisso a recuperação de 608,69 hectares de Mata Atlântica da Fazenda Bulcão, em Aimorés, Minas Gerais, que estava totalmente degradada quando recebeu o título de Reserva Particular de Patrimônio Natural, em 1998. Atualmente, a área total da fazenda é de 709,84 hectares.

O primeiro plantio foi realizado em dezembro de 1999 e desde então, 549,80 hectares já foram trabalhados. Com o plantio de 140 mil mudas realizado na última safra (2009/2010), falta recuperar menos de 10% da RPPN – tarefa que deverá ser concluída até janeiro de 2012. E após esse período, continuarão sendo feitas as intervenções para enriquecimento das áreas visando ampliar o número de espécies e genomas da Mata Atlântica.

Ano após ano, com o apoio de importantes parceiros, foi possível viabilizar o plantio de mais de 1,5 milhão de mudas de árvores na RPPN Fazenda Bulcão, originando uma floresta que hoje abriga mais de 293 espécies florestais arbóreas e arbustivas originárias de Mata Atlântica.

1999 2009


Viveiro

As mudas utilizadas tanto no plantio interno na RPPN quanto nos projetos externos hoje são integralmente fornecidas pelo viveiro do Instituto Terra.

O primeiro viveiro do Instituto Terra foi doado, em 2001, pela Aliança para Conservação da Mata Atlântica (Fundação SOS Mata Atlântica e Conservation International do Brasil). Com capacidade para 68 mil mudas, iniciou a produção em 2002.

Em 2002, o Ministério do Meio Ambiente doou um viveiro maior, com capacidade para 532 mil mudas.

Em 2007, a partir do convênio estabelecido com o Governo de Minas Gerais, através de Secretaria de Meio Ambiente e do Desenvolvimento do Sustentável, foi iniciada nova expansão para garantir uma produção anual de mais de 1 milhão de mudas.

As sementes utilizadas são coletadas num raio de 200 Km da Fazenda Bulcão e cerca de 156 espécies de Mata Atlântica estão sendo desenvolvidas no viveiro.


Pesquisa

Água, fauna e flora

Por se tratar de uma experiência inovadora no país, todo nosso trabalho tem sido baseado em pesquisas e experimentações de “aprender fazendo”.

Hoje, através de monitoramentos, podemos verificar alguns frutos desse trabalho:

  • Associado à recomposição do solo, o restabelecimento da cobertura vegetal da RPPN Fazenda Bulcão está promovendo o resgate dos recursos hídricos em quantidade e qualidade – as oito nascentes presentes na fazenda foram recuperadas e hoje, mesmo em períodos de seca, apresentam vazões em torno de 20 litros por minuto.

  • O crescimento das árvores, apontando para o surgimento de uma floresta de elevada biomassa e diversidade, em uma área que estava completamente degradada.

  • O retorno dos animais – muitas espécies que estavam desaparecendo agora encontram no Instituto Terra um refúgio seguro.

Até o momento, foram identificadas na Fazenda Bulcão:

  • 172 espécies de aves, sendo que seis delas estão ameaçadas de extinção - Amazona rhodocorytha (chauá), Amazona vinacea (papagaio de peito roxo), Campephilus robustus (pica pau rei), Procnias nudicollis (araponga), Propyrrhura maracana (maracanã) e Sicalis flaveola (canário da terra verdadeiro).

  • 33 espécies de mamíferos, sendo duas delas em extinção (categoria de vulnerável) no mundo - Callicebus personatus (sauá ou guigó) e Puma concolor (onça parda, suçuarana) e outras três em extinção no Brasil – Leopardus pardalis (jaguatirica), Leopardus tigrinus (gato do mato pequeno) e Puma concolor (suçuarana/puma/onça parda).

  • 15 espécies de anfíbios.

  • 15 de espécies de répteis.

  • 293 espécies vegetais

O solo encontrado na fazenda é de grande diversidade, predominando solos vermelhos escuro eutróficos, ou seja, de grande fertilidade natural, mas altamente susceptível a erosão, com pequena capacidade de infiltração de água, o que torna urgente sua revegetação.

 

 
 


Todos os direitos reservados
www.institutoterra.org