DIGITE SEU EMAIL E RECEBA NOTÍCIAS
     
 
Aimorés, MG - Brasil | 16/12/2017 - Bom dia!  
   

Busca:

PARCERIA
Parceria com a Defensoria Pública de Colatina quer incentivar plantio de árvores
Autor: Comunicação - 16/11/2017

 

Participantes dos acordos extrajudiciais promovidos pelo órgão vão ter a opção de doar R$ 16,00 para o plantio de uma muda nativa de Mata Atlântica

Quem firmar acordos extrajudiciais por meio da Defensoria Pública de Colatina-ES vai ter a opção de contribuir com o plantio de árvores nativas da Mata Atlântica. Esse é o objetivo de uma parceria firmada entre o órgão e o Instituto Terra dentro do projeto “Solução Verde: Acorde. Plante!”. A assinatura do convênio foi nesta quinta-feira (16), na RPPN Fazenda Bulcão, sede do Instituto Terra em Aimorés-MG.

O projeto prevê que as partes envolvidas nos acordos firmados possam participar da iniciativa doando, cada uma, a quantia de R$ 8,00 para somar o valor de R$ 16,00, que permitirá custear a produção da muda, o plantio e a manutenção por até dois anos. Os plantios estarão sujeitos ao período das chuvas – entre novembro e janeiro –, sendo que cada plantio será realizado quando o valor depositado somar o lote mínimo para a implantação de 400 mudas doadas.

“Caso o lote mínimo para plantio não seja atingido, os valores depositados serão mantidos aplicados na respectiva conta corrente dedicada ao projeto, aguardando a totalização do lote”, explica a diretora Executiva do Instituto Terra, Isabella Salton, destacando que os doadores poderão participar diretamente do plantio, desde que façam o agendamento prévio.

As mudas serão produzidas no viveiro do Instituto Terra, que tem capacidade para produzir um milhão de mudas por ano, e vão ajudar no enriquecimento da biodiversidade da floresta plantada na RPPN Fazenda Bulcão, sede do Instituto Terra no Vale do Rio Doce. A área pertencia a uma antiga fazenda de gado, que há cerca de duas décadas era tomada por pasto e erosão e hoje está recoberta com o verde da Mata Atlântica, numa demonstração prática de que o homem pode retornar à natureza o que décadas de degradação destruiu.

 

 
 


Todos os direitos reservados
www.institutoterra.org