DIGITE SEU EMAIL E RECEBA NOTÍCIAS
     
 
Aimorés, MG - Brasil | 12/12/2018 - Bom dia!  
   

Busca:

MEIO AMBIENTE
Instituto Terra realiza 2ª Descida do Rio Capim.
Autor: Imprensa - 14/11/2008

 

Instituto Terra realiza 2ª Descida do Rio Capim

Comunidade e produtores rurais de Aimorés participaram das atividades que visam recuperar esse afluente do Rio Manhuaçu

Pelo segundo ano consecutivo, a população de Aimorés foi convidada a participar de uma descida ecológica pelo Rio Capim - afluente do Rio Manhuaçu que corta o município mineiro - visando promover a proteção e recuperação de suas condições ambientais. Neste ano, a descida envolveu as comunidades dos distritos de Alto Capim, São Sebastião, Penha do Capim e Conceição do Capim, no município de Aimorés, no Estado de Minas Gerais.

Para ajudar na mobilização, realizada entre os dias cinco e sete de novembro, foram distribuídas cartilhas informativas sobre o tema nascentes e realizadas palestras nas escolas locais. Também foi organizado um mutirão em cada distrito para o recolhimento do lixo nas vilas e no leito do rio. No encerramento da programação e com a ajuda da população foram realizados o plantio de espécies de Mata Atlântica e o levantamento de informações para o diagnóstico das nascentes próximas ao distrito de Conceição do Capim.

A partir deste ano, a 2ª Descida do Rio Capim passa a integrar o projeto Doces Nascentes, que será desenvolvido pelo Instituto Terra em parceria com o Consórcio da Usina Hidrelétrica de Aimorés. O Projeto engloba um conjunto de ações de recuperação e educação ambiental que serão desenvolvidas neste e nos próximos anos junto às comunidades e aos produtores rurais dos municípios mineiros de Aimorés, Itueta e Resplendor objetivando recuperar e preservar nascentes e cursos d´água da região.

O projeto conta com a parceria do Serviço Brasileiro de Apoio a Micros e Pequenas Empresas de Minas Gerais, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, além dos comitês das Bacias Hidrográficas do Manhuaçu e do Doce. A Descida do Rio Capim também teve o apoio da Prefeitura Municipal de Aimorés.

O início - A primeira descida do Rio Capim foi realizada em 2007 e permitiu realizar um levantamento sobre as condições gerais do rio e suas nascentes. A partir desse levantamento foram propostas várias ações para promover a recuperação da quantidade e qualidade da água desse afluente do Rio Manhuaçu.

Para 2009, o Instituto Terra planeja efetivar uma terceira Descida do Rio Capim, dessa vez de cunho científico, visando fazer um levantamento e monitoramento das condições gerais do rio e das melhorias alcançadas com as ações de reflorestamento já efetivadas através do Projeto Aimorés.

Outra ação visando à recuperação do Rio Capim, em Aimorés, é a revitalização de 30 nascentes em sua cabeceira. Será um projeto piloto - dentro das ações previstas pelo Projeto Aimorés - a ser desenvolvido em parceria com a Vale, que após sua conclusão pode vir a ser replicado em municípios vizinhos, como Itueta, Resplendor e Baixo Guandu, visando à recuperação do Rio Doce.

O Rio Capim - A Bacia do Rio Capim abrange cerca de 80% do município de Aimorés, banhando mais de 800 propriedades rurais e seis distritos do município. Ele integra a Bacia do Rio Manhuaçu, que por sua vez é um afluente do Rio Doce.

O Rio Capim nasce no distrito de Alto Capim e banha os distritos de São Sebastião da Vala, Penha do Capim e Conceição do Capim, e deságua no Rio Manhuaçu a 10 km da sede de Aimorés.

Toda a área abrangida pelo Rio Capim constitui-se na maior produtora de grãos do município de Aimorés e, como chove pouco na região, as águas do rio são muito utilizadas para irrigação de arroz, feijão, milho e frutíferas.

Ao longo dos anos, a realização indiscriminada de queimadas em suas margens, o superpastoreio, o desmatamento e a destruição das matas ciliares têm levado a um acelerado processo de erosão e assoreamento, inclusive com o soterramento de suas nascentes. Com isso, o rio enfrenta o problema crescente da diminuição da quantidade de água em seu leito, exigindo ações imediatas para sua recuperação.

 

 
 


Todos os direitos reservados
www.institutoterra.org