DIGITE SEU EMAIL E RECEBA NOTÍCIAS
     
 
Aimorés, MG - Brasil | 12/12/2018 - Bom dia!  
   

Busca:

PROJETOS
A música como caminho para a educação ambiental.
Autor: Imprensa - 17/10/2008

 

A música como caminho para a educação ambiental

Projeto ‘Som na Mata’, que será implantado em escola de Aimorés com o apoio do Instituto Unibanco, visa ampliar as chances de inclusão social de alunos com dificuldade de aprendizagem

O projeto ‘Som na Mata’ do Instituto Terra foi um dos escolhidos pelo último edital lançado pelo Fundo Social do Instituto Unibanco e vai desenvolver, durante o ano letivo de 2009, um projeto de Educação Musical entre estudantes de 12 a 16 anos de Aimorés, associando ações de Educação Ambiental.

Esse projeto tem como objetivo promover a inclusão social desses jovens, favorecer o processo de aprendizagem e ao mesmo tempo permitir a formação de uma consciência ambiental voltada para preservação e o respeito à Natureza.

O projeto será desenvolvido na Escola Estadual Frei Afonso Maria Jordá (EEFAMJ), favorecendo diretamente 100 alunos de 7ª e 8ª séries da instituição que apresentem dificuldade de aprendizagem.

Através da difusão do ensino coletivo da música na escola, o projeto pretende colaborar para o desenvolvimento dos alunos, possibilitando a construção de novos conhecimentos, assim como a descoberta de novas oportunidades de inclusão social.

“Não temos a pretensão de formar músicos profissionais, mas sim aumentar a auto-estima dos alunos com dificuldade de aprendizado, valorizando seu potencial como agente transformador da sociedade. Associado a isso, será desenvolvido um trabalho de educação ambiental que favorecerá uma maior conscientização, por parte desse público, sobre os sérios problemas sócio-ambientais que atingem a região”, explica Ricardo Salgado Rocha, superintende de Relações Institucionais do Instituto Terra.

Ao final do projeto, será feita uma sistematização do método que será adotado, visando replicar a tecnologia social desenvolvida em outras comunidades de Aimorés e municípios vizinhos, bem como comprovar a importância da arte e da cultura como instrumentos para a formação cidadã. Ao mesmo tempo, os alunos serão estimulados a ter o compromisso e a responsabilidade para com o desenvolvimento de práticas ambientais auto-sustentáveis.

Gladys Nunes, gerente de Educação e Cultura do Instituto Terra, observa que o projeto ressalta valores implícitos no ensino musical, dentre eles a concentração, a disciplina, o trabalho em grupo e a apuração da sensibilidade, funcionando como um reforço no sentido da complementação escolar de maneira transversal.

As aulas de musicalização são extra-classe e serão ministradas duas vezes por semana nas dependências do Instituto Terra - tanto no Cine-Teatro Terra, que tem capacidade para 180 pessoas, como também ao ar livre.

Já na parte ambiental o aluno será convidado a experimentar um maior contato com o meio ambiente, através de cursos e oficinas que serão ministrados por profissionais da área e que o ajudarão a enriquecer sua compreensão e responsabilidade sobre os grandes problemas envolvendo a degradação ambiental que atinge a região de Aimorés e outras cidades no Vale do Rio Doce.

O projeto será coordenado pelo Centro de Educação e de Recuperação Ambiental (CERA) do Instituto Terra, que foi criado para difundir as tecnologias desenvolvidas, promover uma reflexão sobre o atual modelo de desenvolvimento e potencializar agentes de transformação rumo ao desenvolvimento sustentável.

O CERA iniciou suas atividades em fevereiro de 2002, e, até o momento, já promoveu cursos e treinamentos para mais de 17 mil pessoas, de 72 diferentes municípios de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

 

 
 


Todos os direitos reservados
www.institutoterra.org