DIGITE SEU EMAIL E RECEBA NOTÍCIAS
     
 
Aimorés, MG - Brasil | 12/12/2018 - Bom dia!  
   

Busca:

CONVÊNIOS
Instituto Terra e Governos de Minas Gerais e Espírito Santo assinam convênios.
Autor: Imprensa - 20/08/2007

 

Instituto Terra e Governos de Minas Gerais e Espírito Santo assinam convênios para preservação e revitalização dos recursos hídricos e florestais da bacia do Rio Doce

A partir dos convênios, viveiro de espécies de Mata Atlântica do Instituto Terra será ampliado para fornecer as mudas para plantio nas áreas degradadas às margens do Rio Doce, visando conter a desertificação na bacia.


Paulo Hartung, Governador do Espírito Santo, e Aécio Neves, governador de Minas Gerais, ladeados por Lélia Deluiz Wanick Salgado, presidente do Instituto Terra, e Sebastião Salgado, vice-presidente

Aécio Neves, governador de Minas Gerais, e Paulo Hartung, governador do Espírito Santo, foram recebidos por Lélia Deluiz Wanick Salgado e Sebastião Salgado, idealizadores, fundadores e gestores do Instituto Terra, no dia 8 de agosto, em Aimorés-MG, para a formalização de uma importante agenda ambiental em favor da recuperação da Mata Atlântica e da bacia do Rio Doce.

No encontro foram assinados convênios de cooperação entre os dois Estados do Sudeste, bem como com o Instituto Terra, visando à preservação e revitalização dos recursos hídricos e florestais da área de abrangência da bacia.

Após a solenidade, Paulo Hartung e Aécio Neves visitaram a sede do Instituto Terra, acompanhados por Lélia e Sebastião Salgado. Durante o trajeto, conheceram o viveiro de mudas de espécies da Mata Atlântica, que será ampliado para atender a demanda dos novos projetos formalizados com o Governo de Minas Gerais.

Ao final do encontro, cada um dos governadores e secretários de meio ambiente presentes plantaram uma muda de árvore na sede do Instituto. Paulo Hartung plantou uma muda de Jequitibá Rosa, enquanto Aécio Neves plantou uma muda de Jacarandá de Minas no terreno da fazenda.

Também participaram da solenidade José Carlos Carvalho, secretário de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais, Maria da Glória Brito Abaurre, secretária de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Espírito Santo, José Machado, diretor-presidente da Agência Nacional de Águas, Humberto Candeias Cavalcanti, diretor-geral do Instituto Estadual de Florestas do Governo de Minas Gerais, André Loubet Guimarães, secretário-executivo do Instituto Bioatlântica, além de prefeitos e deputados de municípios banhados pela Bacia do Rio Doce.


Os convênios

A partir da assinatura dos convênios com o Governo de Minas, o Instituto Terra receberá recursos da ordem de R$ 3,4 milhões, que serão empregados na recuperação de áreas degradadas do Médio Rio Doce, compreendidas entre os municípios de Governador Valadares e Aimorés, na divisa com o Espírito Santo.

Com o primeiro convênio, assinado pelo Instituto Terra, Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Instituto Mineiro de Gestão de Águas (Igam), o Governo de Minas investirá R$ 2,3 milhões para a produção de 1,5 milhão de mudas de espécies da Mata Atlântica, que serão destinadas para as áreas degradadas às margens do Rio Doce. O plantio visa formar microcorredores ecológicos para conter a desertificação na bacia. Para produzir essas mudas, o viveiro do Instituto Terra será ampliado.

O segundo convênio assinado com o Instituto Terra, no valor de R$ 1,1 milhão, foi estabelecido com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e o IEF e prevê cooperação técnica no Projeto Piloto de Recuperação Florestal de Áreas Degradadas da Região do Médio Rio Doce. Esse projeto é desenvolvido desde 2004, em parceria com a instituição japonesa Organização Internacional de Madeiras Tropicais (ITTO). O projeto contará ainda com investimento de R$ 272 mil do Instituto Terra.


Cooperação entre Estados

O convênio estabelecido entre os Governos de Minas Gerais e Espírito Santo junto com a Agência Nacional das Águas (ANA), permitirá a elaboração do plano diretor do Rio Doce. O rio corta os dois Estados do Sudeste, numa extensão de 853 quilômetros.

De acordo com este convênio, Minas Gerais investirá R$ 1,8 milhão via Fundo de Recuperação, Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (FHIDRO), enquanto o Governo do Espírito Santo participará com R$ 300 mil e a ANA com mais R$ 600 mil, totalizando R$ 2,7 milhões. O plano diretor, que deverá ser concluído em dois anos, servirá de base para a realização de um diagnóstico e do plano de ações para a proteção, a recuperação e a preservação dos mananciais da bacia.

A restauração florestal também foi objeto de parceria. Os governos capixaba e mineiro assinaram um Protocolo de Compromisso para a Implantação dos Projetos Piloto de Restauração Florestal e Promoção de Atividades Sustentáveis. Trata-se da etapa inicial do Programa Rio Doce Sustentável, que contará com a participação dos governos do Espírito Santo e Minas Gerais, e do Instituto Bioatlântico.

Investimentos no ES

Ainda como parte da agenda ambiental formalizada no encontro no Instituto Terra, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, assinou o decreto para criação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Guandu, um dos afluentes do Rio Doce. Os comitês atuam como unidades gestoras dos recursos hídricos, com formação tripartite, que congregam o setor público, a sociedade civil organizada e os usuários dos recursos hídricos da bacia.

 

 
 


Todos os direitos reservados
www.institutoterra.org